5 dicas para uma gestão financeira campeã em sua pousada

Tempo de leitura: 4 minutos
5 dicas para uma gestao financeira de sua pousada campea

Para gerir uma pousada de sucesso, o empreendedor precisa cuidar de questões importantes como o atendimento de seus clientes, a arrumação e limpeza das instalações e também dos benefícios que são oferecidos para os clientes durante o período de hospedagem. No entanto, alguns hoteleiros se preocupam tanto com a parte comercial, que acabam se esquecendo ou deixando em segundo plano a gestão financeira do meio de hospedagem. 

Utilizando, muitas vezes, apenas um controle manual, que é facilmente passível de erros e não se atentando às questões mais estratégicas como uma precificação assertiva e análise dos principais indicadores.

Se você sente que trabalha muito, mas “não vê” o dinheiro entrando, talvez esteja precisando olhar com mais carinho para este setor dentro da sua hospedagem. Afinal, uma pequena pousada/hotel pode e deve ser lucrativa sim, entretanto, algumas boas práticas devem ser adotadas na gestão do negócio.

Por isso, no post de hoje, vamos oferecer algumas dicas para que você tenha uma gestão financeira mais eficaz. Confira:

5 dicas para uma gestão financeira campeã em sua pousada

1. Faça o registro de todas as operações

Absolutamente tudo que entra e tudo que sai de sua pousada deve ser registrado. Isso inclui todos os recebimentos (provenientes de estadias ou qualquer outro serviço oferecido) e todas as despesas realizadas que são necessárias para o bom andamento do negócio.

Até mesmo as coisas mais simples, compradas em pequenas quantidades, devem ser registradas. É importante que cada movimentação seja lançada em sua respectiva conta (dinheiro, banco X, banco Y) para que você saiba exatamente a situação de cada uma.

Além de ajudar a ter controle e uma visão geral do seu financeiro, visualizando o lucro do período, manter os registros atualizados e organizados permite que o gestor tenha um entendimento maior sobre tudo que deve ser comprado, em quais períodos e em quais quantidades.

Isso é muito importante, principalmente no caso de produtos perecíveis, que precisam ser comprados na quantidade certa para evitar perdas.

2. Calcule o preço do seu serviço corretamente

Sim, seu meio de hospedagem só será lucrativo se você praticar o preço certo. Qual é o preço certo? Aquele que leva em consideração seus gastos, sua concorrência, oferta e demanda e a margem de lucro que você deseja.

Para calcular corretamente o valor do seu serviço, primeiro você precisa identificar quais são todos os seus gastos.

Isso quer dizer que você precisa saber quais são seus custos com energia elétrica, água, alimentação, produtos de limpeza, pessoal, entre outras coisas (se você estiver em dia com a dica 1, este passo aqui se torna mais fácil!).

Isso permitirá que você saiba qual preço você precisa praticar para pelo menos manter a pousada rodando.

Em seguida, é preciso olhar para o mercado, estabelecer uma margem de lucro aceitável, de acordo com o valor agregado que você oferece e também ficar de olho nos preços dos seus concorrentes para saber se está muito acima ou muito abaixo do que está sendo praticado no mercado.

Conheça nosso mini curso gratuito – Precificação de diárias

3. Não confunda suas contas pessoais com as contas da pousada

Esta dica parece óbvia, mas é muito comum encontrar casos de empreendedores que utilizam os recursos da empresa para pagar as contas pessoais.

Este hábito é extremamente prejudicial para o bom andamento e o controle das contas da empresa.

Portanto, as contas devem ser separadas e o hoteleiro deve estabelecer um pró-labore fixo, previamente combinado para honrar suas contas pessoais.

E o contrário também vale: evite ao máximo usar o dinheiro de sua conta pessoal para cobrir os gastos da pousada.

4. Corte custos excessivos

Quando falamos em gestão financeira, muitas vezes, a primeira coisa que vem à mente da maioria dos gestores é a redução de custos. Não é para menos, afinal, conseguir operar seu negócio com custos reduzidos ajuda a obter vantagem competitiva e uma margem maior para os lucros ou para investir em outras áreas que necessitam de melhorias.

Mas tome cuidado ao sair cortando seus custos aleatoriamente.

Muitos deles são necessários e outros não valem a pena serem excluídos pela relação de custo-benefício, ou seja, você até paga mais caro por eles, mas o produto rende mais ou é mais eficaz.

Saiba mais – Corte de custos: cancelar seu sistema para hotel é uma boa opção?

Portanto, é importante que você estabeleça as prioridades: “quais gastos são essenciais para garantir a excelência do meu serviço?“. Estes não poderão ser cortados.

Para os demais, pesquise maneiras de economizar sem perder seu padrão, renegocie com fornecedores ou busque novos.

Além disso, fique atento aos desperdícios de água, luz, gás, alimentos, produtos de limpeza, entre outros. Pequenas ações podem reduzir os gastos consideravelmente.

Leia também – Administração de Hotéis: Você está fazendo isto certo?

5. Utilize um sistema de gestão financeira

Pode parecer muita coisa para controlar e, realmente, fazer isso de forma manual pode causar muitos erros e retrabalho.

Pois como comentado no início do texto, o hoteleiro geralmente está envolvido em todas as partes do meio de hospedagem. Além de lidar com as finanças, é preciso estar atento às reservas, a disponibilidade de quartos, os pagamentos, entre outras preocupações do dia a dia.

Neste caso, a utilização de um sistema de gestão para a pousada, como o Hospedin, pode trazer diversos benefícios: redução de trabalho manual, maior confiabilidade nos dados e a possibilidade de gerar relatórios que podem auxiliar na análise do negócio e na tomada de decisão.

DICA BÔNUS: Tenha uma reserva de emergência

Para evitar situações de desespero e tomadas de decisões equivocadas em momentos de maior pressão (como baixa temporada ou algum acontecimento externo incontrolável), tenha uma reserva financeira de emergência.

Isso significa ter o valor do seu custo fixo mensal vezes pelo menos 3 a 6 meses em alguma aplicação de rápido resgate. Por exemplo, se seu custo fixo mensal para manter a pousada é de R$ 10.000,00, levando em conta 6 meses, você deveria ter R$ 60.000,00 de forma acessível para utilizar, caso necessário.

E aí? O que achou das dicas?

O sucesso do meio de hospedagem não depende somente de garantir uma excelente experiência ao hóspede. De fato, este é um fator fundamental, entretanto, existem outros cuidados que devem ser tomados na gestão.

Com um bom controle financeiro e organização, seu negócio tem tudo para dar certo e ser um grande sucesso no ramo. Basta seguir essas dicas e buscar soluções de gestão financeira que se adequem ao modelo da sua pousada.

E você, como tem feito a gestão financeira da sua hospedagem? Compartilhe suas dicas nos comentários!

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue aprendendo

Suporte

Atendimento de segunda à sexta-feira das 09h00 às 12h00 e 13h30 às 18h00.
Copyright © Hospedin - Todos os direitos reservados
Ao usar o Hospedin, você concorda com nossa Política de Cookies.