turismo-gastronomico

O que é o turismo gastronômico e como atrair os amantes da boa comida?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Além de conhecer belas paisagens e se aventurar em destinos desconhecidos, muitas pessoas aproveitam suas viagens para descobrir a cultura gastronômica do local onde estão. Seja provando pratos típicos, conhecendo produtores da região ou até participando de atividades práticas, essa modalidade conhecida como turismo gastronômico tem ganhado cada vez mais adeptos no mundo todo.

Que tal apostar neste tipo de turismo para atrair os amantes da boa comida para sua hospedagem? Confira todas as nossas dicas no texto abaixo.

Turismo gastronômico: o que é

Em muitos lugares, a gastronomia é por si só uma atração. Imagine ir para a Itália e não provar as famosas pizzas. Ou conhecer o Brasil sem experimentar uma deliciosa caipirinha. O turismo gastronômico propõe ao turista conhecer a culinária local do destino, fazendo parte de sua experiência na viagem.

E engana-se quem acredita que o turismo gastronômico é só conhecer os restaurantes mais tradicionais do local. Diversas outras atividades fazem parte dessa modalidade, por exemplo:

  • Degustar pratos típicos e bebidas locais;
  • Experimentar as comidas de rua;
  • Participar de festivais gastronômicos;
  • Compartilhar refeições com pessoas locais;
  • Conhecer as rotas de determinada região (ex. Caminhos dos Vinhos);
  • Visitar feiras e mercados municipais;
  • Visitar fazendas e produtores artesanais;
  • Participar de aulas de culinária;
  • Conhecer museus e exposições sobre a história da culinária local.

Perfis dos turistas gastronômicos

É interessante perceber que mesmo que todos os apaixonados por comida queiram fazer turismo gastronômico, existem nichos interessados em experiências diferentes. É essencial conhecer cada um desses perfis para atender suas expectativas. De acordo com o site Food’n Road podemos definir os seguintes perfis:

Gourmet requintado

Comer e beber com qualidade é o seu objetivo. Crítico no paladar, preza por uma experiência diferenciada em estabelecimentos renomados – de cozinha nacional ou internacional -, com boas avaliações, seja qual seu valor. Tende a preferir atividades de degustação e visitas a produção de bebidas (ex. destilarias, vinícolas, cervejarias).

Entusiasta gastronômico

O público que gosta de falar sobre comida, que assiste programas sobre culinária, gosta de restaurantes da moda e até gosta de cozinhar ocasionalmente.

Apesar de toda a apreciação, prefere se concentrar no paladar, experimentando comidas e bebidas locais ou exóticas, mas não busca muita informação além disso.

Entusiasta gastronômico culturalmente engajado

Essas pessoas buscam se conectar com a cultura e comunidade local. Estão dispostos a experimentar novos sabores, tem interesse pela história por trás do alimento e adoram descobrir novos ingredientes.

Refeições com pessoas locais, visitas guiadas, festivais de gastronomia e degustação são atividades que despertam o interesse deste perfil de viajantes.

Aventureiro

Gosta de sair da rota turística e se engajar com a cultura local. Para este perfil, atividades independentes e ousadia nos sabores e pratos locais são ótimas formas de atraí-lo.

Entretenimento social

Este perfil aposta no turismo gastronômico como entretenimento e uma oportunidade para socializar e preencher a rotina com outra atividade. São pessoas que não fazem questão de provar pratos mais exóticos, mas sim, gostam de se sentir seguras em relação aquilo que estão comendo.

Confira também: Hábitos de consumo dos hóspedes: por que você precisa entendê-los? 

Turismo gastronômico: principais destinos

Atrativos para o turismo gastronômico no Brasil não faltam! Não só pela variedade de ingredientes e técnicas de preparo, mas também pelas diferentes culturas que habitam o país de norte a sul.

Turismo gastronômico Nacional

Norte: conta com forte influência de preparos que levam peixes e frutos do mar, além de ingredientes super exclusivos como a castanha e o açaí.

Quem visita essa região vivencia diferentes formas de cozinhar e provar as refeições, além de combinações exóticas de ingredientes.

Nordeste: além de também ser reconhecido pelos peixes e frutos do mar – também tem o famoso azeite de dendê como marca registrada. 

Desta forma, se em Salvador encontramos uma mistura dos pratos mais típicos do estado, em Alagoas as carnes de búfalo e avestruz são comuns de serem apreciadas.

Sudeste: o turismo gastronômico surpreende com a variedade. 

São Paulo oferece uma infinidade de opções para todos os bolsos e desejos de turistas; já para quem prefere o interior, os pratos típicos e quitutes merecem atenção. 

No Rio de Janeiro, as rotas de cervejas artesanais e botecos são famosos atrativos, e a fama gastronômica de Minas Gerais é tão popular que é difícil escolher até os destinos do estado.

Sul: as influências alemãs, italianas, polonesas, ucranianas, holandesas e até indígenas da região Sul tornam a cultura sulista bem interessante.

O pinhão do Paraná, o chimarrão, os vinhos do Rio Grande do Sul, as ostras e camarões de Santa Catarina fazem o maior sucesso entre os turistas.

Centro-Oeste: recebe a influência de todas as outras partes do Brasil, mas se tem um ingrediente que faz sucesso por lá são os peixes de água doce.

O empadão goiano é considerado um símbolo da culinária em Goiás. Já no Mato Grosso do Sul, a culinária é marcada pela influência dos países vizinhos como Bolívia e Paraguai.

Turismo gastronômico internacional

Em contrapartida, o turismo gastronômico no mundo conta com países que se destacam graças às suas riquezas de sabores. Confira alguns deles:

Ásia

China: famosa por utilizar ingredientes exóticos como cobras, escorpiões e gafanhotos, o país oferece uma rica diversidade de pratos.

Tailândia: espetos de insetos são uma das iguarias mais excêntricas do país. Além de ser famoso por suas comidas de rua como o tom yum goong, uma sopa picante, e khao mun gai, um frango cozido com arroz.

Índia: marcada pelos temperos e especiarias, o naan, samosa, carne de cordeiro e o chai estão entre os principais pratos da região.

Europa

França: considerada uma das cozinhas mais refinadas do mundo, seus vinhos, pães, manteiga, doces e queijos proporcionam refeições sofisticadas.

Itália: o paraíso para quem gosta de pizza, macarrão, sorvete, risoto, vinho e mais uma infinidade de preparos.

Espanha: além da famosa paella, por ser banhada pelo mar mediterrâneo seus pratos são compostos por muito azeite de oliva, alho e frutos do mar. 

América do Sul

Argentina: ideal para quem não abre mão de uma boa carne. Além do churrasco argentino ser uma das principais atrações do país, as empanadas, vinhos e o delicioso alfajor estão na lista de preferências dos visitantes.

Peru: por 5 anos consecutivos venceu o World Travel Awards, na categoria “Melhor destino culinário do mundo”. O país é conhecido pelos restaurantes e chefs estrelados e pelo ceviche, prato tradicional da região.

Saiba mais – Alimentos orgânicos podem ser um atrativo para o seu hotel

Turismo gastronômico: como atrair hóspedes para o seu hotel

Depois de conhecer todas as informações, a pergunta é: como atrair viajantes interessados em turismo gastronômico?

Sendo assim, confira algumas dicas que podem ser implantadas no seu estabelecimento em parceria com a comunidade local que podem tornar a comida um dos grandes diferenciais para o negócio.

Menu com ingredientes locais

Que tal mapear todos os produtores da sua região e oferecer refeições com os ingredientes produzidos por eles?

Além dos pratos típicos é possível variar nas criações e surpreender os hóspedes. Para divulgar esse atrativo, inclua o nome do prato, quem produz os ingredientes e um breve resumo caso seja uma receita tradicional.

E dá melhorar ainda mais: pense nas bebidas que também são produzidas artesanalmente na sua localidade e ofereça essas opções para harmonizar com o seu menu.

Leia também: Parcerias com artesãos locais podem ser vantajosas para seu hotel

Festivais e eventos com pratos típicos

Muitas cidades organizam eventos – sejam festas pequenas ou até grandes festivais – para celebrar um prato típico ou a gastronomia da região. Aproveitar essas comemorações é uma ótima forma de se posicionar no turismo gastronômico.

Se essa não é a realidade da sua região, que tal criá-la? Converse com outras empresas e produtores e promova um festival no seu estabelecimento com o apoio de outros negócios.

Para se inspirar: Ideias para pousadas: receba hóspedes com criatividade

Chefs convidados

Convidar cozinheiros renomados ou locais para eventos no seu estabelecimento também é uma maneira de entrar para o turismo gastronômico.

Você pode criar uma agenda com esses eventos no qual o profissional convidado apresenta um menu completo, ou ministra uma aula, entre outras possibilidades.

Workshops e aulas especiais

Coloque os turistas para fazer atividades práticas. Ofereça cursos, workshops e atividades que os ensinem a preparar um prato típico, por exemplo.

Tour pela região

Todas as sugestões mencionadas envolvem a parceria direta com outros produtores. Já que este vínculo está firmado, você pode ofertar aos hóspedes visitas a essas produções, levando-os para os principais destinos ou para aqueles frequentados apenas por nativos.

Não esqueça que para o bom desempenho de cada uma das ações é preciso planejar com antecedência e comunicar adequadamente!

Aposte no blog, nas redes sociais, informativos via newsletter e em todas as ferramentas que utiliza no estabelecimento para alcançar o público desejado e incluir o seu negócio na rota de turismo gastronômico da sua região.

O turismo gastronômico, além de proporcionar uma experiência única ao viajante, contribui para o desenvolvimento econômico e social da localidade, fortalecendo os laços entre o seu negócio e a comunidade. 

Que tal analisar a viabilidade de apostar nesta modalidade de turismo em seu estabelecimento?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Share: