gestão de não conformidades na hotelaria

O papel da Gestão de Não Conformidades na hotelaria

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

É impossível falar de gestão de não conformidades sem falar de qualidade na hotelaria. Eles estão totalmente ligados, e quem dita as regras desse jogo é o hóspede.

Se você, como hoteleiro, procura direcionar todos os seus esforços e sua equipe para tornar a experiência do hóspede a melhor possível, você está no caminho certo!

Mas, nós sabemos que essa não é uma tarefa tão simples, até porque, o hotel recebe hóspedes de todos os tipos e com diferentes perfis, e agradar a todos é uma missão que requer muita dedicação de toda a equipe.

Por outro lado, a área da gestão da qualidade se preocupou com isso e atualmente, existem várias formas de eliminar ou mitigar os problemas que podem gerar insatisfação ou reclamações relacionadas aos serviços do hotel.

E é justamente sobre isso que vamos falar nesse artigo: gestão de não conformidades na hotelaria.

Ou seja, vamos te ajudar a entender como aplicar esse conceito no seu meio de hospedagem, e usufruir dos benefícios de se ter um hóspede satisfeito e feliz.

O cliente é o motivo pelo qual uma empresa existe. O hotel, por sua vez, existe para receber, atender e proporcionar uma ótima experiência ao hóspede, sendo este quem decreta o padrão de qualidade do seu estabelecimento.

Desde o momento do primeiro contato com o hotel, até o momento do check-out o hóspede está avaliando os serviços e produtos oferecidos. Sendo assim, para que ele tenha uma impressão favorável e fale bem do seu negócio, não negligencie os cuidados com a gestão de não conformidades e de qualidade.

Gestão da Qualidade na hotelaria

Você certamente já ouviu falar em ISO 9000. A palavra ISO significa International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização). É uma organização não governamental fundada em 1957 com o intuito de promover um nível avançado de padronização internacional, e serve para qualquer tipo de empresa.

Assim, ao frequentar um hotel na Europa ou no Brasil, o hóspede poderia encontrar padrões de qualidade reconhecidos pela ISO.

Essa padronização garante um alto nível de qualidade quando a empresa se propõe a colocá-la em prática. Por ser um processo difícil e algumas vezes longo, as empresas que optam por adotar as normas da ISO passam por auditorias e recebem certificações que são bem vistas no mundo inteiro.

De qualquer forma, essas normas são uma fonte de aprendizado para quem deseja aumentar o nível de qualidade do hotel.

As normas da ISO 9000 foram elaboradas por um grupo de 97 países que estabeleceram alguns critérios e requisitos para as certificadas, como por exemplo:

  • Padronização de todos os processos chaves da empresa, ou seja, todos aqueles relacionados a entrega do produto/serviço e que afetam diretamente o cliente.
  • Inspeções de qualidade frequentes e ações corretivas.
  • Implantação e manutenção dos registros de não conformidades.
  • Revisão dos processos e adequação ao padrão de qualidade.

Por ser algo recente no Brasil, ainda não é possível encontrar muito conteúdo sobre este tema disponível em nossa língua na internet. Mas para quem tem interesse em se aprofundar no assunto e conhecer melhor estas normas de qualidade, deixo como sugestão o livro “ISO 9000 na hotelaria” por Rejane Santos.

Mas vamos focar no terceiro item da listinha, dado que o hotel conhece seus processos mas não faz a gestão das não conformidades.

O que é gestão de não conformidades?

A falta de qualidade é altamente prejudicial para a lucratividade do hotel, uma vez que, processos e causas de problemas desconhecidos demandam recursos maiores para atingir um resultado, muitas vezes, razoável. Retrabalhos e desperdícios são exemplos claros dessa situação.

Tais retrabalhos, desperdícios, atrasos e reclamações são consideradas não conformidades. Ou melhor dizendo, são todos os episódios que saem do padrão desejado pelo hotel.

Isso acontece com frequëncia por ai? Tudo bem, é normal. O que não é normal é omitir-se com relação a esses problemas. Você também precisa gerenciá-los.

Fazer pesquisa de satisfação é um ótimo meio de identificar pontos fracos.

Por que se deve fazer a gestão de não conformidades?

Uma vez que o hotel implanta um processo para gestão de não conformidades, ele passa a ter clareza sobre seus pontos fracos e aumenta o poder de reação frente aos desvios dos processos.

É impossível gerenciar e melhorar aquilo que não é medido. Ao gerenciar as não conformidades, o hotel poderá agir preventivamente e não somente de forma corretiva, uma vez que, esse processo é baseado no ciclo PDCA. O ciclo PDCA promove a melhoria contínua aumentando a qualidade e competitividade do hotel.

Veja abaixo como ele funciona:

ciclopdca

Tenha em mente que a gestão da qualidade e das não conformidades deve passar por todas as etapas do ciclo PDCA.

Como aplicar essa metodologia na hotelaria

Não é complicado implantar um processo de gestão de não conformidades básico. É necessário, somente, disciplina e dedicação. Com esses elementos o retorno certamente será positivo e facilmente visualizado na satisfação do hóspede.

Vamos aos passos necessários:

Passo 1: Nível de qualidade

O primeiro passo é definir o nível de qualidade do hotel. É preciso saber como o processo deve ser executado para que se obtenha a qualidade máxima desejada pelo estabelecimento.

Vamos utilizar um exemplo da área de governança e seu processo de arrumação do quarto:

O hotel estabelece quais são os passos que ela deve executar para que a arrumação do quarto tenha o nível máximo de qualidade, e entre esses passos, tem-se a disponibilização dos amenities que são feitos especialmente para os quartos tipo luxo. Mas ao arrumar o quarto a camareira percebe a falta dos amenities, ou seja, temos uma não conformidade que provavelmente surgiu no setor de compras.

Para identificar a não conformidade é preciso conhecer o nível de qualidade do hotel, que no nosso exemplo é: disponibilizar os amenities exclusivos do quarto tipo luxo em todas as arrumações.

Alguns exemplos de nível de qualidade do hotel são:

  • Tempo de atendimento no check-in. Qual tempo máximo deve levar o check-in?
  • Tempo de atendimento no check-out. Qual tempo máximo deve levar o check-out?
  • Pleno funcionamento dos sistemas operacionais. Quantas vezes no mês o sistema para de funcionar?
  • Abastecimento de alimentos. Quais são os alimentos que sempre faltam?
  • Abastecimento de itens essenciais. Quais são os itens essenciais que sempre faltam?
  • Satisfação do hóspede. Qual é o grau de satisfação do hóspede?

Passo 2: Registro de Não Conformidades – RNC

No segundo momento deve-se implantar o registro de não conformidades, ou seja, um documento em que se deve registrar o ocorrido sempre que é identificado.

A RNC é um formulário simples que deve ficar disponível para os colaboradores do hotel.

As informações que devem conter na RNC são:

  • Tipo: classificação, conforme sua gravidade e risco;
  • Descrição: explicação sobre a Não Conformidade;
  • Setor: nome do setor onde existe a Não Conformidade;
  • Tratativa: Qual ação será tomada para eliminar a causa;
  • Ação imediata: registro de qualquer ação já imediatamente tomada;
  • Responsáveis envolvidos: indicação de quem executará as tratativas.

Faça o download de um modelo básico de RNC:

  1. Modelo de RNC doc ou word – Download
  2. Modelo de RNC pdf – Download

É o registro da não conformidade que vai garantir a execução da terceira e última etapa.

Passo 3: Gestão

Mas de pouco adianta definir o nível de qualidade e implantar o registro de não conformidades, se não houver uma gestão sobre essas informações. Como falamos anteriormente, o que não é medido não pode ser melhorado.

Periodicamente é necessário analisar as não conformidades e elaborar um plano de ação para resolvê-las definitivamente. Nesse momento vale observar que nem sempre a causa apontada é a causa raiz do problema, ou seja, deve-se questionar a não conformidade até que a causa principal apareça.

Existem várias metodologias para se identificar a causa raiz, porém neste artigo, vamos exemplificar com o método dos 5 porquês.

Voltamos ao exemplo da área de governança: A camareira registrou a não conformidade da falta de amenities para o quarto tipo luxo. Mas o que pode ter causado isso? Nesse momento é preciso fazer alguns questionamentos para chegar a causa raiz. Será que foi mesmo uma desatenção do setor de compras?

Vamos aos 5 porquês:

  1. Por que faltou amenities do quarto tipo luxo? Porque o setor de compras não fez o pedido.
  2. Por que o pedido não foi feito dentro do prazo? Porque a pessoa responsável pelo controle do estoque faltou por uma semana, por motivo de doença.
  3. Por que ninguém mais fez a contagem? Porque a contagem é manual e somente uma pessoa tem acesso ao registro de alguns itens.
  4. Por que a contagem é manual? Porque nunca analisamos o processo e a necessidade de um sistema.
  5. Por que não verificamos se o sistema que utilizamos controla as compras?

Desta forma, pode-se perceber que o problema está no processo. Ele precisa deixar de ser manualizado e deve ser feito por uma equipe, não somente por uma pessoa.

Passo 4: Coloque em prática

Aqui é que entra o plano de ação para auxiliar o hotel a automatizar o processo de compras, para que não falte mais os itens essenciais para a experiência do hóspede.

Existe um padrão de plano de ação que é simples e fácil de utilizar. Ele se chama 5W2H e consiste em:

5w2h

Responda as perguntas do 5W2H, e você terá um caminho a seguir para resolver qualquer problema no hotel.

Por tanto, podemos concluir que:

A RNC é uma ferramenta para registrar todos os desvios e inconsistências do processo. É através dela que se torna possível identificar os pontos fracos da operação, identificar a causa raiz e agir diretamente sobre ela.

E por outro lado, o plano de ação auxilia na resolução do problema e na avaliação da eficácia, isto é, a verificação sobre a solução encontrada. Ela foi mesmo eficaz?

Afinal, você já parou para pensar quanto custa para o hotel a falta de um sistema de gestão hoteleira quando o hóspede precisa fazer o check-out? Ou a desatenção da recepcionista na hora do check-in?

O número mais importante que a gestão de não conformidades pode dar ao hotel é exatamente esse: saber o custo dos problemas, defeitos e erros de processos.

Não poderíamos finalizar este artigo sem falar delas: as pessoas. A equipe é um dos pilares da qualidade, visto que, eles estão em contato direto com o cliente. Eles devem ser treinados, sensibilizados e valorizados para que se comprometam com o processo de melhoria contínua.

A qualidade está relacionada com a eficiência e a eficácia. Não é o bastante obter EFICIÊNCIA fazendo CERTO AS COISAS, mas é necessário obter EFICÁCIA fazendo AS COISAS CERTAS.

Para auxiliar na melhoria contínua do seu hotel adote um sistema de gestão de hospedagem. Você já conhece o Hospedin?
Clique para conhecer mais sobre a ferramenta e fazer um teste grátis!

Seu hotel tem sido eficaz ou apenas eficiente? Conta pra gente nos comentários abaixo. E se gostou do artigo não esquece de deixar seu like!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Share: