revpar

RevPAR – Saiba tudo sobre esse indicador hoteleiro

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Todo mundo sabe que definir tarifários e acompanhar a taxa de ocupação, é uma tarefa básica na gestão de qualquer pousada ou hotel. Porém, o que muitos não sabem, é que existem outros indicadores tão importantes quanto estes, como por exemplo o RevPAR (Revenue per Available Room). E é justamente sobre este indicador de receita por unidade habitacional, que vamos falar.

Sabia que através dele você descobre o quanto seu estabelecimento tem sido eficiente em gerar resultados positivos?

Ficou curioso? Então não deixe de conferir!

Nesse artigo vamos desvendar todos os segredos do RevPAR, além de exemplificar seu uso na prática. Mas antes de qualquer coisa, vamos recapitular dois outros indicadores que você não deve deixar de analisar juntamente com o RevPAR. São eles: taxa de ocupação e diária média.

Taxa de Ocupação

A Taxa de Ocupação demonstra o quanto a sua pousada esteve ocupada em um determinado período, de acordo com a disponibilidade de unidades habitacionais. Desta forma temos:

TO (%) = (UHO / UH) x 100
Em que:
TO (%) = Taxa de ocupação de um período
UHO = Unidades de hospedagem ocupadas no período
UH = Unidades de hospedagem existentes no período
*locais utilizados por funcionários ou de cortesia não devem entrar no cálculo.

Diária Média

A Diária Média, por sua vez, é um índice que apresenta o quanto de receita os hóspedes trazem em determinado período. Desta forma temos:

DM = RTH / NDV
Em que:
DM = Diária média
RTH = Receita total de hospedagens no período
NDV = Número total de diárias vendidas no período
*locais utilizados por funcionários ou de cortesia não devem entrar no cálculo.

O RevPAR é um indicador que nos permite conhecer o quanto temos obtido de receita sobre a vendas dos locais, ou seja, é o indicador que vai atestar a eficiência da sua estratégia comercial. Assim sendo, o RevPAR deve ser analisado em conjunto com os indicadores acima, nunca isoladamente.

Parece complicado? Continue a leitura, e você verá que não é!

O que é RevPAR?

O RevPAR vem da expressão em inglês “Revenue per Available Room”, que quer dizer Receita por Unidade Habitacional disponível. Embora desconhecido por alguns, essa é a métrica mais importante na hotelaria.

Diferentemente da Diária Média que considera somente as UHs ocupadas, o RevPAR considera todas as UHs disponíveis em determinado período. Fazendo com que você tenha uma visão mais assertiva da receita.

Assim, o RevPAR, conforme mencionado acima, permite que o gestor conheça a efetividade do seu estabelecimento como um todo, principalmente nos momentos de sazonalidade. Através desses números, a estratégia de preços pode ser formulada objetivando aumentar a competitividade.

Entendendo a fórmula do RevPAR

O RevPAR pode ser calculado de duas formas:

1) RevPAR = RTH / UHD
Em que:
RTH = Receita total de hospedagens no período
UHD = Unidades habitacionais disponíveis no mesmo período acima

2) RevPAR = DM * TO
Em que:
DM = Diária média
TO = Taxa de ocupação

Além de manifestar o quanto sua estrutura tem sido remunerada pela receita, você pode comparar o RevPAR da sua pousada com o de outros estabelecimentos do mesmo segmento.

Variações do RevPAR

O RevPAR é uma métrica estratégica e nesse caso ela é amplamente avaliada pelos gestores e principalmente, pelos investidores do mercado hoteleiro. Através dele é possível analisar o comportamento das tarifas em diferentes situações, regiões e estratégias, a fim de confirmar quais apresentam o melhor resultado.

Esse indicador tem algumas variações que complementam sua análise.

NET RevPAR

O NET RevPAR analisa o valor líquido das tarifas (NET). Assim ele considera as receitas de hospedagem deduzindo o custos variáveis. Pode-se considerar custos variáveis:

  • ISS: Impostos Sobre Serviço
  • Comissões: agências de viagens, compras coletivas, canais de venda (OTAs) e etc.
  • CV: custos variáveis da diária, ou seja, todos os custos que se tem quando o hóspede está no hotel ou na pousada.

T RevPAR

Esse indicador apresenta uma visão geral da receita pois, considera todas as receitas que o hóspede pode gerar no hotel. Assim, sempre que o hóspede consumir qualquer um dos serviços disponíveis o T RevPAR vai aumentar.

Deve-se tomar um cuidado essencial com esse indicador, uma vez que ele considera todos os serviços oferecidos no hotel, ele pode mascarar uma baixa Diária Média se for considerado o consumo de Day Use, por exemplo. Neste caso, ao calcular o T RevPAR considere somente as receitas geradas pelos hóspedes sendo elas com: hospedagem, A&B, eventos e outros.

Estudo de caso: Hotel Canto Sul

O Hotel Canto Sul tem 150 unidades habitacionais com uma taxa de ocupação média de 60%. O gestor do hotel precisa analisar todas as tarifas praticadas pela sua equipe para reformular a nova estratégia de preços. Vejamos o relatório final:

RevPAR

Do conjunto das 7 tarifas utilizadas pelo Hotel, pode-se perceber que o Pacote Especial é a tarifa com melhor NET RevPAR, mesmo não tendo a Diária Média mais alta, ou até mesmo o melhor RevPAR. Considerando que o NET RevPAR é a receita líquida por UH, a precificação do Pacote Especial é a mais competitiva.

Desta forma, pode-se concluir que estratégias de preços parecidas com a tarifa de Pacote Especial, são bastante interessantes para o Hotel Canto Sul. Ressalta-se aqui que a apuração correta de custos variáveis, impostos e comissões é imprescindível para se chegar a resultados de confiança.

Mas… cada caso é um caso

Alguns autores enfatizam que o RevPAR não é uma boa medida, considerando que alguns hotéis tem um RevPAR baixo mas possuem muitas UHs que proporcionam receitas melhores. Nessa situação, é preciso avaliar não somente o segmento do hotel, mas também, o porte do estabelecimento.

Muitos gestores estão optando por avaliar a Diária Média como medida de desempenho, sendo que um preço bem estruturado é algo que efetivamente aumenta o faturamento do hotel ou da pousada, e consequentemente a taxa de ocupação e o RevPAR.

Planejar e formular um bom preço é peça importante no quebra cabeça da competitividade hoteleira. Pensando nisso, temos um post completo falando somente sobre esse assunto, confira!

Por outro lado, de acordo com o que temos visto ao longo do artigo, ao analisar a performance do hotel o gestor deve levar em consideração um conjunto de informações. Normalmente, quando se altera um indicador, outro poderá ser afetado e assim será possível moldar a estratégia comercial do estabelecimento.

O primeiro passo é ter clareza sobre o perfil do estabelecimento para conceber uma boa estratégia de posicionamento, preço e promoção.

Ufa! Quanta informação até aqui!

Para fechar com chave de ouro trouxemos alguns dados sobre o estes indicadores no mercado hoteleiro do Brasil.

Uma pesquisa realizada em 2016 pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil apontou que a Taxa de Ocupação dos hotéis urbanos era de 59,6%, com uma Diária Média de R$ 248,00 e RevPAR de R$ 148,00.

Já em setembro de 2017 a Revista Hotéis publicou que a Taxa de Ocupação Hoteleira no Brasil está em 52,5% e Diária Média de R$ 300,00.

Leia também: Indicadores Hoteleiros: uma visão geral sobre os resultados do seu hotel

E como está a realidade da sua Pousada ou Hotel? Conta pra gente como você faz a gestão dos indicadores estratégicos, e deixe seu joinha 😉

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Share: