corte de custos: cancelar seu sistema para hotel é uma boa opção?

Corte de custos: cancelar seu sistema para hotel é uma boa opção?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Se tem uma área que é a primeira a sangrar em um momento de crise, é o financeiro do hotel. Realizar corte de custos acaba sendo a primeira opção quando o hoteleiro se depara com a queda na receita. E o sistema para hotel costuma entrar na fila da suspensão rapidamente.

Mas será que eliminar o sistema de gestão hoteleira é a melhor opção neste momento?

O objetivo deste artigo é que possamos refletir juntos sobre como fica a situação financeira em um momento de crise, a exemplo do que acontece agora com o Covid-19.

Nas próximas linhas, você vai entender o comportamento da gestão financeira quando a receitas não entram, além de descobrir como fazer corte de custos sem afetar a gestão e se eliminar o sistema para hotel é, realmente, a melhor opção neste momento.

Se você precisa tomar decisões financeiras e quer aumentar os seus conhecimentos sobre o assunto, siga com a leitura.

Até a última linha você se sentirá mais seguro para realizar corte de custos sem afetar a qualidade e perenidade do seu negócio.

Gestão financeira na crise

A chegada de uma crise econômica é um dos piores imprevistos que podem acontecer para um negócio. 

A situação que vivemos atualmente, com a chegada do Covid-19, não é só uma crise econômica, mas também, um acometimento relacionado a saúde das pessoas, o que deixa tudo mais sério e complicado.

Sendo assim, nas últimas semanas os hoteleiros viram suas receitas despencarem enquanto que os pedidos de cancelamento decolavam desordenadamente em um curto espaço de tempo.

Toda essa situação veio acompanhada dos decretos federais, estaduais e municipais que colocaram as pessoas em quarentena e fecharam os meios de hospedagem temporariamente. Desta forma, muitos hoteleiros tiveram que parar com suas atividades abruptamente, afetando diretamente a gestão financeira.

Contudo, se pode observar 3 elementos importantes com relação à gestão financeira no enfrentamento de uma crise. São eles:

Reserva financeira de emergência

Todo e qualquer negócio precisa ter a sua reserva financeira de emergência. Sabe aquele seguro que a gente paga sem querer usar? Pois bem, o intuito é parecido. A reserva financeira de emergência é algo que o hoteleiro vai construindo ao longo do tempo desde que tenha a disciplina de alimentá-la mensalmente. 

De acordo com estudos, uma empresa saudável precisa ter no mínimo 6 meses de faturamento guardados para usar em momentos de imprevistos, a exemplo de uma crise hoteleira como essa. Sendo assim, se o hotel fatura R$ 70.000,00 por mês, sua reserva de emergência deve ser de R$ 420.000,00.

Com isso, o empreendedor terá tempo suficiente para pensar com calma e reagir aos momentos difíceis do mercado.

Gestão de fluxo de caixa

A gestão do fluxo de caixa permite que o hoteleiro tenha uma visão de curto, médio e longo prazo sobre os seus desembolsos e receitas. O fluxo de caixa está relacionado com o quanto o hoteleiro terá que desembolsar em um curto período de tempo, uma semana por exemplo, e o quanto de dinheiro terá em caixa para arcar com as suas obrigações financeiras neste mesmo período.

O dinheiro precisa estar disponível para que o hoteleiro o utilize no momento correto. Essa disponibilidade está atrelada a gestão de fluxo de caixa.

De pouco adianta ter dinheiro investido e imobilizado, e não conseguir arcar com as obrigações mensais por falta de fluxo de caixa e acabar fazendo uso de empréstimos imediatos.

Negociação

Veja uma forte aliada em um momento de crise: a negociação. Infelizmente no Brasil não se tem a cultura de negociar, mas isso é muito comum em diversos países pelo mundo. Negociar não pode ser visto como algo ruim, mas sim como uma oportunidade de chegar a uma situação ganha-ganha, boa para ambas as partes. Para ter sucesso em uma negociação é preciso entender até onde você pode ir para que fique bom para você e para o cliente.

Neste momento, a habilidade de negociar é bastante útil para lidar com os hóspedes e, também, com os fornecedores. Vale a pena apostar e estudar um pouco mais sobre o assunto.

Como fazer corte de custos sem afetar a gestão?

Eis uma pergunta que ecoa na mente dos hoteleiros em um momento como esse: como fazer corte de custos sem afetar a gestão? Ou sem comprometer a qualidade dos serviços?

Essa preocupação é genuína visto que o corte de custos pode impactar na prestação dos serviços hoteleiros e essa é uma decisão que precisa ser tomada com cautela e análise.

Dito isto, é importante observar que para cortar custos sem afetar a gestão e a qualidade dos serviços é preciso observar as seguintes questões:

Qual é o seu tempo de arrancada? Analise se ao cortar o custo você vai levar muito tempo para retomar sua rotina e/ou processos depois que a crise passar. Se for muito complexo e demorado fazer a recuperação, considere mantê-lo o máximo possível.

É custo ou é investimento? Parafraseando a nossa parceira de trabalho @hotelariacomcarla: pergunte ao custo se ele vai traz retorno para o hotel ou não. Se ele trouxer algum retorno, pode ser considerado um investimento e a decisão de cortá-lo não é inteligente.

Minha gestão depende dele? Seja um sistema ou um profissional excepcional, pondere se você terá dificuldade de fazer a gestão do hotel sem eles. Sistemas agilizam processos e fornecem dados importantes para a tomada de decisão, enquanto que as pessoas-chave fazem o negócio acontecer no dia a dia.

Devo cancelar meu sistema para hotel?

Começamos a introduzir esse assunto no tópico acima, mas peço a liberdade de aprofundar essa questão ao considerá-la importante para uma reflexão.

Os sistemas hoteleiros são elementos fundamentais na gestão do hotel como um todo. Essa importância fica ainda mais evidente quando se está diante de um momento decisivo, como é o caso da crise hoteleira que acomete o mercado desde dezembro/2019.

Para tomar decisões quanto a formação de preços, redução de custos, política de descontos e outras coisas do tipo, o hoteleiro precisa de dados, que por sua vez se tornarão informações valiosas de planejamento e execução.

Portanto, faça as perguntas que listamos acima e conclua se você deve ou não cancelar o seu sistema para hotel neste momento.

Além disso, considere a possibilidade de trocar de sistema por outro com melhor custo-benefício ou, ainda, negociar o valor que você paga por ele.

Desta forma, será possível manter uma ferramenta estratégica tanto para o enfrentamento da crise, quanto para o processo de retomada das atividades.

Lembre-se: nenhuma crise é permanente

Antes de finalizar este artigo, quero reforçar que toda e qualquer crise parte de um estado transitório, ou seja, ela chega e vai embora em algum momento.

Ainda é cedo para afirmar quando a crise do Covid-19 vai acabar, mas pode-se ter certeza de que isso vai acontecer.

E se uma crise não é permanente, você precisa estar preparado para manter o seu negócio sustentável e crescente ao longo do tempo. Sem desistir ou desanimar.

Enfrentar um momento delicado com esse, não é tarefa fácil. A gente sabe! Contudo, acreditamos na força que existe dentro de um empreendedor que deseja manter sua empresa de pé.

Conte com a nossa ajuda. Acesse um material super bacana que lançamos recentemente para ajudar os hoteleiros no enfrentamento dessa crise.

E comenta aqui embaixo se você cancelou seu sistema hoteleiro ou se optou por negociar as mensalidades. Como você fez?

Você também pode gostar de ler: Sistema para hotelaria: gasto ou investimento?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Share: